sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Eles ( parte O3)

SE VOCÊ NÃO LEU A PARTE O4 PARE AGORA , CRIA VERGONHA NA CARA, E VAI ALI EMBAIXO LER RAPIDINHO;


Ela tinha os cabelos presos por um rabo de cavalo  alguns fios soltos no rosto. Ele vestia aquela camiseta azul que ele manchou porque colocou pra lavar do jeito errado. Já era dezembro e fazia um calor do inferno. Mas ele tinha insistido que o dia estava ótimo para pintar a sala.

"Droga" a lata de tinta salmão tinha caído no pé dela e se espalhado pelo chão de madeira. "Que merda, que merda !" Ela sentiu uma vontade enorme de gritar e jogar aquele pince pela janela mas ele apareceu na sua frente e ela se lembrou de que da última vez ele saiu de casa e voltou só no dia seguinte.

"Calma, cara" ele se agachou para limpar o lugar enquanto ela voltava da varanda com algum produto de limpeza.

"Você anda muito nervosa ." Ela continuou calada. "Ei" ele insistiu" Que que tá acontecendo , hein ?" Ela começou a andar de um lado pro outro na sala. "Eu sei lá... um monte de coisas." Ele ainda estava calmo mas deu um frio na barriga quando ela parou de andar e confessou que estava confusa. Ela vinha pensando em todas essas pessoas que moram juntas e acabam se casando e tendo filhos e brigam o tempo todo e no casamento dos pais e só conseguia concluir que ainda não estava preparada.

Ela não queria que eles terminassem de cara feia um pro outro em uma sala do fórum da vara da família decidindo quem ficaria com o que. Ela estava insegura e aquela dor estranha na boca do estômago só piorava. "Eu tÔ com medo. Só isso."

"Eu também." Ele se levantou e foi até ela "Também fiquei com medo a primeira vez que fui andar de bicicleta sem rodinhas. Eu caí um monte de vezes mas quando me levantava eu percebia o quanto foi bom eu  ter insistido em continuar andando. " Ela riu. Riu não, gargalhou. Porque aquilo não fazia sentido e ele a estava comparando com uma bicicleta.

Ele sorriu e voltou ao trabalho. E agora eles tinham alguns medos em comum, um futuro incerto juntos e uma mancha cor de salmão na parede da sala.


10 comentários:

  1. Quantas vezes precisamos dividir nossos medo e incertezas. E só precisamos de alguém que esteja ali. Alguém que te entenda, te faça rir e te faça ter uma segurança de que tudo vai acabar bem. Mesmo que você tenha sido comparada com uma bicicleta. Certos momentos só necessitam de uma palavra de apoio.

    O que vc escreve tem grande impacto dentro de mim.
    *------------*
    Adorei!

    ResponderExcluir
  2. Gostei dos dois textos, posso dizer que tentei me imaginar no lugar "dela" e que não seria diferente, também estaria um pouco insegura. Mas como todo mundo sabe, coisas novas sempre dão esse arzinho de medo, pelo menos agora eles tem um ao outro, o que pode ser melhor? <3 ah, o amor heh. Ahhh fiquei feliz com seu comentário <3
    beijos,

    entre-galaxias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Admiro pessoas como você que conseguem escrever contos assim. Com tamanha intensidade, com detalhes e sem torna-los cansativos.
    Adorei.

    ResponderExcluir
  4. Como assim?? Que história perfeita você está escrevendo!!
    Claro que tive que voltar nos posts para ler tudo <3
    lelusantos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Agora, lendo a outra parte (comentei na última também) vejo que os personagens também partilham do meu medo. A diferença é que eu sou do tipo que desiste fácil, se algo me deixa entediada ou infeliz. E não considero isso um defeito, sinceramente. Mas só porque não me identifiquei com a situação, isso não quer dizer, como eu já disse no meu último comentário, que não esteja bem escrito. Na verdade, está bem escrito pra caramba.
    bjão!

    ResponderExcluir
  6. O mais engraçado é que relacionamento também é comparado com andar de bicicleta (em Hora de Aventura). LoL. Mas faz sentido. Claro.
    ::::
    {Emilie Escreve}

    ResponderExcluir
  7. Recebi uma visita inesperada no Teatro e vim saber de onde vieram observações tão gentis.
    Percebi que valeu a retribuição, justamente pela maneira como a srta. terminou seu texto. Existe uma técnica ali.
    Voltarei para ler mais.

    ResponderExcluir
  8. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir
  9. se o post 02 começar com: "e ai ele ficou com síndrome do pânico, começou a ir pro analista e ela queria se casar de vestido branco, brindar com champanhe, dançar a valsa e comer bem-casado... e no fim tudo deu certo e foram os dois viver no pequenino ap..." - eu vou dizer que já conheço essa história hahahaha ta parecendo a historia do casamento do meu irmão hahaha :)

    ResponderExcluir
  10. Tive que ler a outra parte. Nem preciso dizer que adorei. Estou me envolvendo, como já disse tive que ler as outras partes para poder acompanhar melhor. Esperando ansiosamente pelo próximo.
    cronicasdeumlunatico.blogspot.com

    ResponderExcluir